Pesquisar este blog

quinta-feira, fevereiro 23, 2006

A Oração Centrante e a Meditação Cristã





ENCONTRO DE DIRIGENTES

A 10 de junho de 1993, na cidade utópica de New Harmony, Indiana, USA, dois mestres espirituais muito conhecidos tiveram um encontro para avaliar o movimento contemplativo na Igreja de hoje: Thomas Keating, OCSO, que ensina a “Oração Centrante”, e Laurence Freeman, OSB, que ensina a tradição da “Meditação Cristã” como foi transmitida por D. John Main, OSB.

ORAÇÃO CONTEMPLATIVA

Existem muitas formas de oração. A Oração Centrante e a Meditação Cristã pertencem à tradição da oração contemplativa da Igreja Católica. Elas têm suas raízes nas Escrituras e na espiritualidade cristã antiga, especialmente em seus escritos monásticos, tais como os do monge João Cassiano, do Século IV. Em toda a história da Igreja, houve santos, teólogos e mestres espirituais que afirmaram a importância desse tipo de oração, tanto para o indivíduo como para a sociedade. A tradição contemplativa continua prosperando atualmente, atraindo homens e mulheres que anseiam por ensinamentos espirituais que ajudem a satisfazer seu desejo de um re
lacionamento profundo e amoroso com Deus. Os padres Keating e Freeman consideram a sua atuação como uma forma de encaminhar cristãos cujo coração foi despertado pra uma forma contemplativa de oração.

PELA GRAÇA DO ESPÍRITO SANTO

Na contemplação somos levados pelo Espírito Santo a entrar em profundo silêncio interior, dispensando as palavras habituais de oração e também os pensametnos e sentimentos que em geral são associados à oração. Para além de palavras, pensamentos e sentimentos, a contemplação é a capacidade humana inerente, que, nutrida pela graça, permite ter a experiência de união essencial com Deus, que se encontra no âmago de toda existência.


DUAS FORMAS DA MESMA TRADIÇÃO

Já que se baseiam na mesma tradição, a Oração Centrante e a Meditação Cristão têm semelhanças em alguns aspectos: ambas estimulam a quietude do corpo e da mente durante a oração, ambas encorajam a oração em grupo quando possível. Existem, entretanto, algumas diferenças em seu método de oração contemplativa. A “palavra sagrada” na Oração Centrante é Símbolo da INTENÇÃO de dar CONSENTIMENTO (aceitação) à Presença de Deus em nós e de sua Ação, em nossa vida, enquanto o “mantra” no método da Meditação Cristã é utilizado para concentrar o meditante na realidade da Presença interior e assim lidar com distrações. Os padres Keating e Freeman avaliam as diferenças como evidência da riqueza da tradição, e acreditam que o Espírito Santo dirige cada um para uma forma ou outra como resultado da providência individual de Deus. A fidelidade ao direcionamento sugerido pelo Espírito para UM dos caminhos, de preferência à alternância entre os dois “métodos” de oração, é uma disciplina que contribui para nossa maturidade espiritual.

UM DOM PARA O MUNDO

Os padres Keating e Freeman estão convencidos da necessidade de contemplação no mundo diante da violência, guerra, materialismo e desespero. Acreditam que a oração contemplativa leva as pessoas ao mistério de Cristo e Seu amor redentor pelo mundo, tornando-as disponíveis à graça do Espírito Santo que cura. No encontro de New Harmony eles debateram amplamente estas convicções, de maneira que podem reafirmar, para os que seguem seus ensinamentos, a validade das duas formas de se aproximar da oração contemplativa. As duas organizações e comunidades permanecem distintas (em seu lugar de origem). Entretanto, elas colaboram para o respeito e o encorajamento mútuo, para que continue a crescer para o trabalho essencial para o desenvolvimento da contemplação entre os cristãos.


O Método da Meditação Cristã:

D. John Main ensinou que, para meditar, você deve:
1. sentar-se quieto, com suas costas eretas;

2. fechar seus olhos;

3. repetir seu mantra interiormente, e continuamente.

Escolha momento e lugar calmos, toda manhã e toda tarde, e medite durante 20-30 minutos de cada vez, duas vezes por dia.

O Mantra ideal é a antiga frase Aramaica “maranatha”, mas pode ser escolhida outra palavra.


O Método da Oração Centrante:


I - D. Basil Pennington, D. Thomas Keating, padre William Meninger , todos monges trapistas, colocam os três passos para a Oração Centrante, baseada no livro do século XIV, "A Nuvem do Não-Saber":

Sente-se quieto e relaxado, coluna ereta. Use uma cadeira ou banquinho de meditar. O importante é que a posição seja confortável e lhe permita ficar tão imóvel quanto possível na sua oração, pois a quietude do corpo favorece a quietude do espírito.

1. Tranquilize-se na Fé e no Amor a Deus, O qual habita no centro do seu ser. Respire suavemente, acalme-se na presença do Senhor que te ama e espera...

2. Escolha uma palavra sagrada (por exemplo Jesus, Pai, Amor, Paz, Fé, etc) e deixe-a presente, sustentando seu ser para Deus com amor e fé. Não perca muito tempo escolhendo essa palavra, pois você não vai se concentrar em seu significado, nem ficar refletindo sobre ela. Ela te servirá como âncora, para te "segurar" na Presença do Senhor. Peça ao Espírito Santo que o ilumine na escolha dessa Palavra que será a partir de então a sua palavra sagrada. Não mude essa “palavra”, fique sempre com ela, todos os dias.



Essa palavra sagrada tem duas finalidades: reafirme isso a cada oração: 1 - É a sua Intenção de permanecer na Presença do Senhor. 2 - é o seu Consentimento à Ação de Deus em sua vida.

Pode usar essa pequena oração para iniciar, todas as vezes:

“Meu Senhor, esta Palavra Sagrada é minha Intenção de permanecer em tua presença nessa oração. Através dela, eu consinto em vossa Presença e Ação em minha vida e abro mão de todos os meus “projetos pessoais” para a felicidade. Procurando apenas me aquietar e desapegar-me de meus pensamentos, incluindo minhas emoções, abrindo-me à escuta e à vossa presença amorosa em minha vida. Amém.”


3 . A cada vez que você perceber sua mente vagando (ela adora fazer isso, é como o macaquinho irrequieto, pulando de galho em galho), simplesmente retorne suavemente à Presença do Senhor, repetindo mentalmente sua palavra sagrada. Isto é, a cada vez que perceber que sua atenção está em alguma coisa - seja isso pensamentos, emoções, barulhos, sensações, etc, retorne muito suavemente (sem se culpar, condenar, criticar), a sua Palavra Sagrada, símbolo de sua Intenção e Consentimento à Ação e Presença de Deus em sua vida. O importante nessa oração é nosso ser desnudo, calado, quieto, diante do Ser que habita nosso ser . Nesse momento, SOMOS, para Deus apenas. Não dizemos nada, não pedimos nada nessa oração. Ele sabe do que precisamos. Vamos fazer espaço para Ele em nós.

Ao final do período de oração, reze o Pai Nosso, lentamente.


"QUANDO ORARES, ENTRA NO TEU QUARTO, FECHA A PORTA E ORA AO TEU PAI EM SEGREDO; E TEU PAI QUE VÊ NUM LUGAR OCULTO, RECOMPENSAR-TE-Á.
NAS VOSSAS ORAÇÕES, NÃO MULTIPLIQUEIS AS PALAVRAS, COMO FAZEM OS PAGÃOS QUE JULGAM QUE SERÃO OUVIDOS À FORÇA DE PALAVRAS." (Mt,6, 6-7)

"Retorne ao seu Centro, onde Deus espera por você!"

3 comentários:

H K Merton disse...

Belíssimo blog!

As diferenças entre Meditação Cristã e Oração Centrante são muito sutis, a meu ver.

Anônimo disse...

Através da oração contemplativa estavos nos braços do Pai

Ir. Pio disse...

Ola pessoal!
Pax!
Visite o meu blog da meditação Cristã
meditacaocrista.blogspot.com